21 de Agosto de 2022








Luis Augusto Lobão Mendes

Professor e Consultor  



Aprendendo na prática: 10 inovações do retalho



Foram 10 dias de muitas visitas e muita aprendizagem!





R

ecebi o convite da querida amiga Su­ra­ma Jurdi, para parti­cipar como um dos convidados na mis­são Business Inno­vation, que tra­balha com o conceito de “live case”, que é viver os melhores casos do retalho de Nova York ao vivo, não só visitando as lojas com o olhar técnico, mas realizado a jornada de compra e as experiências propostas nos diversos canais das empresas como consumidor.

A cidade mais global do mundo, é um excelente laboratório para ino­vação! Do comércio de peles no século 17, aos novos polos tecnológicos e acadêmicos que querem manter a relevância da maior metrópole ame­ricana no século 21, a história de Nova York é a história da globalização — e, se as iniciativas atuais forem bem-sucedidas, também será o futuro. Nova York, também é a capital financeira do planeta, assim como também está na linha de frente quando se trata de tecnologia da informação e inovações voltadas para o consumidor final. E este cenário que construímos nosso labo­ratório!

O retalho é hoje um mercado cheio de inovações.As tecnologias que vêm surgindo, como pagamento sem contato, “mobile-commerce” e "internet das coisas", prometem transformar a maneira como fazemos negócios.

É um dos setores mais vibrantes para se trabalhar neste momento, muito embora esse foco em inovação não seja assim tão recente. A inovação e o retalho sempre caminharam de mãos dadas e aqui quero destacar as 10 que mais me chamaram atenção nesta nossa jornada.

#1 No friction 

A experiência de compra começa com uma jornada sem atrito! A Bed Bath & Beyond está dando um show, depois de fazer uma grande reforma na sua super loja, incorporou uma série de canais de compra e relacionamento com o cliente. O “scan and go” elimina filas, pois permite que você compre dentro da loja. Mas o interessante não são as ferramentas, mas a cultura e o empoderamento dos colaboradores para reduzir totalmente o atrito com os clientes, principalmente no momento de negociação de preços ou mesmo em devoluções de produtos.

#2 Experiências marcantes

O O Museo do Sorvete e nova loja da Channel dão um show a parte! Todo o cuidado com a “experiência sen­sorial”, mostram uma nova tendência do retalho. Na Channel você pode descobrir a cegas o seu gosto aromático e fazer seu perfume sob medida. Na loja do Microsoft eu consegui pilotar um McLarem, um carro instalado dentro da loja para

apresentar a sensação de seu novo game Forza.

#3 A inspiração
O poder do storytelling A loja do Harry Poter a conexão dos produtos com o filme é fascinante! Toda loja foi pensada para trazer a magia e os elementos do mundo da ficção para uma loja! O ponto, a cerveja de manteiga, as balinhas com gostos estranhos e a gamificação dentro da loja, tornam um ponto obrigatório para quem quer entender o novo retalho.
#4 Membership
O conceito de membro com vantagens também foi uma descoberta neste processo de imersão no retalho de NY. As empresas cobram para os clientes serem membros e retornam o valor em descontos e experiências nas lojas! A Nike e Channel estão mos­trando este novo caminho para se aproximar mais de seus consumidores.
#5 Omminichanel

Aqui já não se trata de uma novidade, mas de uma realidade, o cliente compra como, onde e quando ele quiser! As empresas precisam ir para um conceito superior -o de onechannel! A Alure mostrou que uma revista pode ter uma loja de cosméticos! O que é bom está na revista o que é sensacional está na loja, garante a marca com a curadoria dos seus editores.


#6 Personalização

Na loja da Samsung você monta o seu telemovél através de um robô e já consegue ver como ele vai ficar!! Mas a Bonobos mostrou que um mercado tradicional como o de roupas ainda pode ser inovador! Com hora marcada você tem o atendimento de um personal stylist e depois recebe sua compra em casa! A loja no modelo guide shop.

#7 Economia circular e seminovos

The Real Real mostra a preocupação com a sustentabilidade e e da economia circular, vendendo produtos de marca seminovos! A loja faz todo um trabalho de avaliação e revenda dos produtos.

#8 Cloud Market

Aqui a ideia é ser um marketplace vivo e isto a Showfields faz muito bem!

Além de ser a loja mais legal de NY. Cria espaços para novos produtos e empresas se apresentarem tanto no físico como no digital. A ideia é impulsionar a vendas de novos en­trantes.

#9 Conexão

O que falar da proposta da American Girl! Apaixonante!! As bonecas agora têm sua história retratadas em livros! Personagens de uma vida de voluntariado e de empreendedorismo, mostrando que é possível fazer a diferença no mundo! Lá a criança pode personalizar a boneca e sair com o mesmo vestido do seu brinquedo! Até marcar uma hora no salão de beleza e fazer simul­ta­neamente o cabelo da boneca e da sua filha!

#10 Metaverso
Terminamos com um assunto polêmico e que divide opiniões, mas o

fato é que será uma nova fronteira! Muitas das marcas já marcam presença e se posicionam, algo que precisamos acompanhar, mas já dá sinais de que veio para ficar e será cada dia mais próximo como canal de vendas e espaço para criação de experiências imersivas.
Foi uma experiência fascinante a que tivemos nestes dias em NY, dezenas de lojas visitadas, muita inspiração! Termino afirmando que as marcas e empresas não podem mais de distanciar das redes sociais, o apoio de influenciadores e de espaços “instagramáveis” devem fazer parte da sua estratégia de mercado e posicionamento! 

Agora é esperar por janeiro, lá estaremos na NRF (o maior evento do retalho do mundo) novamente e traremos mais novidades!!



Subscreva esta mailing list para receber a revista em formato digital gratuitamente...