13 de Junho de 2021









ANA ISABEL LUCAS

Consultora e Formadora 


Fotografias D.R.



“SCAMPERIZAR 2021”: a palavra de ordem é reinventar



Uma grande parte da atual turbulência do mercado deve-se a fatores incontroláveis. A concorrência, a produtividade, as questões ambientais, etc., são alguns dos desafios deste mar turbulento.

 


S

e remar em águas agi­tadas requer perícia e engenho, acrescente-se a este mar uma pandemia e estão reunidas as condi­ções necessárias pa­ra cri­ar um tsunami.

São verdades como estas que limitam e aprisionam o pensamento. Não vemos as coisas como elas são, mas a partir daquilo que nós somos e em que acreditamos.

Para as empresas que navegam neste mar, só existe uma certeza – a incerteza é uma constante!

No final de 2019, início de 2020, as tendências professavam esta realidade “as empresas têm que se reinventar continuamente e implementar modelos de negócio baseados no digital e com práticas ecológicas”. Esta tendência não desapareceu! Veio para ficar e ficou bem vincada nos novos hábitos trazidos pela pandemia.

Perante um clima de incerteza, eleva-se no púlpito a criatividade e a palavra de ordem chama-se reinventar. A literatura sobre o processo da criatividade refere que o potencial criativo pode ser alimentado e que existem várias aborda­gens para potenciar a criatividade.

No entanto, o processo que conduz à criação de ideias contém em si inúmeras variáveis que contribuem para que uma ideia ganhe consistência e se torne num projeto, mas existe sempre um começo.

Partindo do pressuposto que existe um clima e uma cultura propícia a gerar ideias, porque não começar por S.C.A.M. P.E.R?

SCAMPER é o acrónimo das palavras em inglês: Substitute–Combine–Adjust – Modify-Put to other uses-Eliminate–Reverse.





Em português: Substituir, Combinar, Ajustar, Modificar, Propor outro uso, Eliminar e Reverter. Esta técnica foi proposta por Alex Osborn em 1953, mas acabou por ser desenvolvida por Bob Eberle em 1971, no seu livro “Games for Imagination Development”.

Na metodologia SCAMPER, as novas ideias são geradas a partir da realização de várias ações numa ideia base. O poder da pergunta é o elemento que lhe confere um caracter dinâmico, sendo este o principal promotor do pensamento divergente e da capacidade criativa. A mesma literatura também refere que o pensamento divergente tem uma in­fluência significativa na resolução cria­tiva de problemas e no desempenho da criatividade. A resposta em cadeia às questões associadas à palavra SCAMPER, dá corpo a uma ideia. A cada letra de SCAMPER corres­ponde um processo de pensamento espe­cífico. 

O S, de Substituir, refere-se a descobrir ideias ou objetos alternativos em vez da ideia/objeto existentes. A questão principal desta letra é: "O que mais se pode usar em vez da ideia/objeto já usado?".


 

O C, de Combinação, refere-se a formar novas ideias combinando ideias conectadas e desligadas. A questão principal é: "Que ideias/objetos podem ser combinados?".

O A, de Adaptação/ajuste, refere-se à utilização/modificação de ideias anteri­ores para criar novas. A questão principal é: "Como posso modificar o objeto exis­tente para se adaptar às circunstâncias em mudança?".

O M, de Modifi­car/minimi­zar/am­pliar, refere-se a fazer alterações no objeto presente, ampliando, minimi­zan­do e modificando-o. 

As principais ques­tões são: "Como posso ter uma nova ideia/objeto ampliando, minimizando, modificando este objeto?"; "E se eu ampli­­ar/mi­nimizar este objeto?".

O P, de Propor outro uso, refere-se a usar um objeto num conceito/situ­ação/lugar inesperado. As principais que­s­tões são: "Como posso usar este objeto num conceito diferente? Em que outros objetivos posso usar este material?”; “Onde posso usar este material?".

O E, de Eliminar, refere-se a eliminar


        uma parte do objeto existente, em nome da criação de uma versão melhorada do mesmo ou de descobrir as consequências da eliminação. As principais questões são: "Há alguma coisa que eu possa eliminar para ter uma coisa melhor/mais bonita/ mais útil?".

        Por último, o R, de Reverter, refere-se à reorganização ou inversão do presente estado/situações/or­dens/pa­drões com o objetivo de considerar fins alternativos, práticas e ideias. A questão principal é: "O que posso reverter no sistema?”; “Como posso reorganizar a ordem presente?”.

        Esta metodologia é útil para repensar problemas, criar novas oportunidades de negócio, modificar um projeto de um produto, serviço ou processo. O contexto atual exige às empresas reinvenção, capacidade criativa e pensamento diver­gente. Sendo a criatividade consi­derada um processo cognitivo, não pode­mos esquecer que cada pessoa tem uma capacidade inata de pensamento criativo que pode ser estimulada e nutrida através do treino contínuo.





        Subscreva esta mailing list para receber a revista em formato digital gratuitamente...