LIDERAR À DISTÂNCIA

Gerir equipas remotamente através de diferentes locais, escritórios, regiões ou países pode ser um processo complicado, e que pode demorar algum tempo a aperfeiçoar a maneira dos líderes chefiarem.

25 de Março de 2020

Estar suficientemente distante para dar às equipas um sentido de autonomia, ao mesmo tempo estando envolvido o suficiente para garantir que estão satisfeitos e são produtivos é um equilíbrio difícil de alcançar.

No entanto a Hays, partilha seis dicas para que seja mais fácil para os líderes atuais chefiarem remotamente as suas equipas diretas e restantes colaboradores:

1. Dar prioridade às soft skills

Alguns colaboradores precisam de ter acesso constante à sua chefia direta para se sentirem seguros e confiantes. Esta é uma preocupação que, como manager remoto, não será fácil e capaz de cumprir. É necessário considerar esta questão ao recrutar para quando seja necessário estar longe das equipas, elas consigam ser minimamente independentes, enquanto trabalham remotamente.

Tente e encontre profissionais que sejam auto-motivados, responsáveis, independentes e bons comunicadores. Deve concentrar-se tanto na personalidade certa no processo de recrutamento quanto nas competências e experiências

Sandrine Veríssimo, Regional Director da Hays PortugalAs competências podem ser ensinadas, enquanto a personalidade ou as “soft skills” não.” Também é importante que confie nos colaboradores que trabalham remotamente ao saber que irão gerir o tempo da melhor forma e que continuarão a ser produtivos.

2. Utilizar ferramentas que facilitem a comunicação

A comunicação é primordial e ter as ferramentas certas é importante para garantir que todos possam manter-se facilmente em contacto, bem como obter rapidamente as informações de que precisam e quando precisam. Isso significa utilizar ferramentas como Skype, Yammer, Sqwiggle, Microsoft Teams e Google Hangouts para ajudar nas reuniões online, chats e vídeo-chamadas.

Estas são soluções gratuitas ou com um custo reduzido, que ajudam a manter as linhas de comunicação abertas e fluidas. Basta garantir que todos tenham acesso e que saibam como utilizar as ferramentas - o que pode garantir através de uma formação, quando por exemplo, um colaborador entra na empresa pela primeira vez.

"Dar aos talentos as ferramentas certas, em particular dando-lhes a tecnologia certa e formação para serem ainda mais eficazes nos seus trabalhos, é fundamental se quiser garantir a produtividade", comenta Sandrine Veríssimo, Regional Director da Hays Portugal.

3. Estabelecer uma visão colectiva

É importante que as equipas compreendam plenamente quais são os objectivos do negócio. Esta é uma das suas principais responsabilidades como líder. Encoraja a comunicação tanto quanto possível. Seja entre equipas, entre si e os elementos da equipa ou mesmo entre outros departamentos da empresa, essas trocas só ajudarão a reforçar o entendimento mais amplo dos colaboradores sobre como o negócio funciona.

4. Não falar apenas do negócio.

Ao comunicar com colaboradores remotos, pode ser fácil apenas falar sobre trabalho, mas por mais importante que isso seja - e em alguns casos é tudo o que importa - tente conversar sobre eventos locais, ou sobre os interesses pessoais. Por vezes pode ser difícil estabelecer relações sólidas com colaboradores com quem não se trabalha diariamente ou mesmo semanalmente, no entanto, conhecer as suas equipas a nível pessoal é importante para desenvolver uma relação que contribui invariavelmente para níveis mais elevados de satisfação profissional e produtividade.

5. Delegar o máximo possível

A delegação - embora seja uma ferramenta integral para todos os líderes - é especialmente importante para aqueles cujos colaboradores estão em diferentes escritórios, ou que trabalham remotamente. Compreenda as funções de cada colaborador antes de delegar funções. Também pode ser tentador tentar gerir equipas sozinho, mas nestas circunstâncias isso é particularmente improvável, por isso é importante delegar esta responsabilidade o mais possível.

6. Ser sensível às diferenças do horário dos trabalhadores remotos

É importante ser sensível a qualquer diferença horária entre o seu escritório e a localização da equipa remota. É um pequeno pormenor e talvez óbvio, mas algo de que precisa estar constantemente atento ao implementar prazos ou agendar chamadas.

Esse impulso do momento da chamada pode parecer-lhe uma boa ideia às 7h da manhã, mas se a sua equipa remota estiver a trabalhar a partir das 9h , por muito dedicados que sejam, não lhe agradecerão por isso. Marque as chamadas e reuniões virtuais para uma hora que seja conveniente para as duas partes - normalmente durante o horário normal de expediente.

Revista Digital Start&Go

Últimas


Mesmo autor



Subscreva esta mailing list para receber a revista em formato digital gratuitamente...