Jinja Studio

Jinja concebe e produz uma grande variedade de produtos originais, realizados 100% à mão, pela reutilização de desperdícios têxtil.

Mónica Monteiro
28 de Fevereiro de 2018

Jinja concebe e produz uma grande variedade de produtos originais, realizados 100% à mão, pela reutilização de desperdícios têxtil. Fundada em 2012, com o objetivo de transformar e melhorar o ambiente duma forma sustentável. O respeito pela natureza determina todo o seu processo criativo de eco-design. Na sua coleção, conta já com a parceria do designer australiano Tom Allen, que ajudou na criação do modelo de negócio e na estratégia de marketing da Jinja e no design dos “drink coolers”.Estivemos à conversa com Norma Silva, designer Portuguesa, para conhecer um pouco melhor este projeto.

 

Como surgiu a ideia da Jinja?

A Jinja nasceu duma vontade de começar um projeto na área do design de produto, a minha área de formação, que me levasse a trabalhar manualmente e que também refletisse os meus ideais de respeito pela natureza e de eco design. O ponto de partida foi a escolha do material, o desperdício da indústria têxtil e o seu reaproveitamento. Os produtos que resultaram, vieram da experimentação e criação duma técnica com os fios têxtil, que está continuamente a ser explorada.

Qual foi o maior desafio sentido até ao momento com o desenvolvimento do projeto?

Os desafios são vários, mas talvez o maior para mim, é a da comunicação, o dar a conhecer a marca e o chegar ás pessoas. Estando a desenvolver o projeto sozinha, é complicado conseguir ter mão para todas as tarefas, criação e desenvolvimento de novos produtos, produção e marketing da marca. No início de cada projeto, o alcançar dos objetivos propostos pode levar tempo, ser desmotivante e inseguro, se não tivermos força de vontade e acreditar no que estamos a fazer.

Qual é a principal visão para a Jinja?

Tento com este projeto mostrar que se pode fazer novos produtos com qualidade, a partir da reutilização de materiais. Já utilizamos demasiados recursos do nosso planeta e é necessário reduzir o consumo, como pensar em todo o ciclo de vida dos produtos, desde a sua criação até ao final do seu uso quando é deitado fora, (como e de que é feito, para que serve, como vai decompor-se) para que este seja o mais sustentável possível. É neste processo, que acredito que o designer de produto tem um papel fundamental para a mudança de consciências e comportamentos dos consumidores.

Qual tem sido a adesão do mercado ao vosso conceito e aos valores da marca?

Quando comecei em 2012, sentia que os portugueses ainda não estavam familiarizados com este tipo de produtos e apesar de mostrarem interesse, acabavam por não comprar. Penso que hoje em dia, houve uma grande mudança de atitudes,como aparecimento de várias tendências de vida sustentável e mais ecológicas, quer pela procura de alimentos biológicos, produtos orgânicos e um estilo de vida zerowaste. Começam por isso a dar mais valor ao que necessitam, querendo saber mais sobre o produto. Talvez comprando menos mas de maior qualidade.
Começaram como uma loja on line e posteriormente desenvolveram a presença em lojas físicas?
Não sei bem, penso que foi em simultâneo as duas. A loja online foi feita quando criei o website da Jinja e na mesma altura comecei a ter os produtos à venda em lojas. De qualquer forma, posso dizer que vendo bem mais em lojas físicas, talvez por ser um produto novo e as pessoas gostarem de vê-lo. E também por conseguir chegar a mais pessoas.

Quantos colaboradores tem atualmente a Jinja?

Vou tendo alguns colaboradores pontuais, como o meu colega Tom Allen, que me ajudou no início do projeto a definir os objectivos e estratégias de marketing e design da marca, uma designer gráfica, uma fotógrafa, as vezes um amigo que dá uma mão, mas no dia-a-dia, como já referi anteriormente sou apenas eu.

Projetos para o futuro?


Crescer mais como marca, tentando alcançar o mercado internacional, que começo agora aos poucos a conseguir. E poder continuar a desenvolver novos produtos para a Jinja que me façam experimentar diferentes processos, seguindo sempre os conceitos de eco design e sustentabilidade.

Rate and Review
Review
Review summary
Reviews

Revista Digital Start&Go

Últimas


Mais vistas



Subscreva esta mailing list para receber a revista em formato digital gratuitamente...