Acredite nas capacidades do seu filho

Um dos grandes objetivos da educação é tornar as crianças independentes e com iniciativa, seres autónomos e com espírito crítico. Como tal, cabe aos pais incutir nos seus filhos o impulso motivador que lhes permita triunfar.

Sara Cardoso
27 de Outubro de 2014

Um dos grandes objetivos da educação é tornar as crianças independentes e com iniciativa, seres autónomos e com espírito crítico. Como tal, cabe aos pais incutir nos seus filhos o impulso motivador que lhes permita triunfar. Sabemos que não podemos assegurar o êxito, mas podemos alimentar a confiança em si mesmos, a coragem, a capacidade de resiliência, a criatividade, passos indispensáveis para alcançar o sucesso da vida. Assim, deixo aqui alguns conselhos:

Permita-lhes que tomem decisões: No dia-a-dia de uma criança há momentos em que podemos deixar que ela assuma o controlo (exemplo: escolha da roupa que vai vestir). É uma boa forma de mostrarmos à criança que acreditamos nela e que confiamos nas suas decisões. Estas experiências ajudá-la-ão a adquirir mais confiança em si mesma e fomentar a iniciativa.

Deixe-o correr riscos: Deixe a criança correr riscos calculados, ou seja, não se trata de sair por aí agindo sem pensar, mas de suportar a incerteza, a frustração (exemplo: deixar a criança andar de bicicleta sem rodas, mas com a vigilância dos pais). Ela aprende que pode arriscar, mas com a segurança da presença dos pais. É uma das formas de estimular a tolerância à incerteza, ao risco.

Ofereça o seu apoio: Para que a criança se transforme num adulto confiante e bem-sucedido, mais do que lhe oferecer bens materiais, o importante é dar-lhe o nosso apoio, e disponibilidade. Elogiar os seus esforços e iniciativas motivará a criança a fazer mais e melhor e aumentará a sua determinação. Para isso é importante ouvir as suas ideias e projetos, descobrindo as suas motivações (exemplo: jovem quer criar uma banda de música com os amigos, pode ceder a garagem).

Destaque os seus pontos fortes: Todos temos interesses especiais e se formos pais observadores estaremos aptos a descobrir aquelas áreas nas quais o nosso filho se destaca. Devemos também ajuda-los a ampliar seus horizontes, propondo-lhes alternativas que possivelmente eles não tenham pensado em explorar. Os pais deverão estar atentos para incentivar a praticar o que mais gostam e que maior aptidão têm (exemplo: criança gosta de desenhar e fá-lo bem, pode inscrevê-la num curso de pintura).  

Estimular a perseverança: É importante fazer ver à criança que com esforço é possível alcançar qualquer objetivo. O ser humano desiste com facilidade, mas, para realizar um sonho, deve continuar, não pode desistir no primeiro obstáculo. A criança em diferentes momentos da sua vida sentir-se-á frustrada, cabe aos pais dar apoio e ajudá-la a pensar no que pode fazer para que a situação não se volte a repetir (exemplo: criança tirou nota no teste que não a satisfaz, ela deverá estudar mais para a próxima).

Fomentar a responsabilidade: A criança deve aprender a assumir as próprias ações. Se partiu um vaso, deve dizer. Os pais devem dar espaço para ela contar sem amedrontá-la. Além disso, a criança deve ter as suas tarefas dentro de casa, pois todos se ajudam, fazem parte de uma equipa. Guardar a roupa suja, levar o lixo, lavar o carro, passear o cão, fazer a cama. Existem várias tarefas que elas podem e devem fazer para se sentirem úteis e responsáveis.

Siga estes conselhos e verá o seu filho tornar-se num cidadão independente, responsável, confiante em si e nas suas capacidades, com uma boa autoestima, com capacidade de iniciativa e resiliência. 

Rate and Review
Review
Review summary
Reviews

Revista Digital Start&Go

Mais vistas


Mesmo autor